Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Ex-prefeito de Uiramutã, RR, é preso por furtar documentos de prefeitura
Início do conteúdo da página

Ex-prefeito de Uiramutã, RR, é preso por furtar documentos de prefeitura

Publicado: Quinta, 26 de Janeiro de 2017, 15h00 | Última atualização em Quinta, 26 de Janeiro de 2017, 15h02

UiramutaO ex-prefeito do município de Uiramutã, Eliésio Cavalcante de Lima (PT), foi preso nesta terça-feira (24) por suspeita de furtar documentos e materiais da prefeitura. De acordo com a Polícia Civil, oito ex-servidores também foram presos.

Ao G1 o advogado do ex-prefeito, Henrique Sadamatsu, informou por telefone que ainda está se inteirando da situação e só irá se manifestar posteriormente.

Eliésio foi prefeito de Uiramutã, região Norte do estado, por dois mandatos, no período de 2008 a 2016. O ex-prefeito foi preso na casa dele em Boa Vista durante operação da Polícia Civil batizada de 'Jatevu', que significa 'praga do carrapato' em linguagem indígena.

Além das prisões de Eliésio e dos ex-servidores, a polícia cumpriu 20 mandados de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva, que ocorre quando a pessoa é levada de forma obrigatória para prestar depoimento.

De acordo com a delegada geral, Edneia Silva, os mandados foram expedidos pelo juiz da Comarca de Pacaraima.
"A investigação se iniciou após o atual prefeito de Uiramutã [Dedel (PP)] denunciar à polícia que encontrou a prefeitura vazia ao assumir o cargo. Documentos, móveis, computadores e carros tinham sido levados pelo ex-gestor. Tudo estava na casa dele", diz a delegada.

Ainda conforme Edneia, imagens de câmeras de segurança ajudaram a identificar os ex-servidores do município que retiraram caixas de documentos da sede da prefeitura de Uiramutã em Boa Vista.

"Eles subtraíram e se apropriaram do patrimônio público. A Comarca de Pacaraima expediu os mandados após solicitação nossa", acentua.

Crime contra a administração pública
Conforme adelegada titular de Pacaraima, unidade onde o caso foi investigado, os nove presos que tiveram a prisão preventiva decretada responderão pelo furto dos equipamentos e documentos da prefeitura.

"O crime é peculato furto. Eles se apropriaram de documentos, que seriam inutilizados, e de objetos pertencentes ao município. Essa conduta indica uma organização criminosa muito estruturada em que cada envolvido tinha seu papel. Os documentos furtados são referentes aos oitos anos que o ex-prefeito administrou a cidade", declara.

Ex-prefeito montou 'prefeitura' em casa, diz delegada

Segundo a titular da Delegacia de Repressão a Crimes Contra à Administração Pública, delegada Magnólia Soares, ao fazer a busca na casa do ex-prefeito, foi observado que ele havia montado uma 'prefeitura' na própria residência.

"Todos os arquivos e alguns processos de licitação estavam com ele. Dinheiro público e móveis estavam servindo ao ex-prefeito e à família dele. Cadeiras, mesas, material de expediente, gêneros alimentícios. Uma prova da sensação de impunidade que ele [Eliésio] tem", aponta a delegada, citando que ainda não foi calculado o valor do prejuízo aos cofres do município.

Ela disse que a investigação se estenderá para outra fase, conforme os documentos forem analisados.

"Nem o patrimônio do município, o atual prefeito [Dedé] não sabe porque não há documentos", acrescenta. Os nove presos prestaram depoimento e foram autuados por furto. Todos serão conduzidos à Penitenciária Agrícola de Monte Cristo.

Fonte: G1

registrado em:
Fim do conteúdo da página